O último domingo (21/04/2019), amanheceu com a triste notícia de um atentado contra cristãos no Sri Lanka. O atentado ocorrido em igrejas e hotéis, já contabiliza mais de 250 mortos. Tristemente no dia em que nós cristãos, celebramos a ressurreição do nosso Salvador, o dia em que a esperança tomou o lugar da dor e do desespero da alma, carregado por nossos próprios pecados, é anunciado para todos os cantos do mundo, o quanto cristãos ainda sofrem perseguição religiosa, e de maneiras tão bárbaras quanto o coração humano pode apresentar. Tristemente, o Sri Lanka vem apresentando altos índices de perseguição à cristãos, devido ao seu alto nacionalismo religioso. No mesmo dia, poucas horas depois, o ex-presidente norte americano Barack Obama, em uma tentativa de se solidarizar com o ocorrido, chamou esses cristãos massacrados, em um “tweet”, de “Easter Worshippers” (fiéis da páscoa), não só ele, mas como grande parte do Partido Democrata se utilizou deste “adjetivo”, para se referirem aos CRISTÃOS envolvidos no atentado. A nítida falta de empatia ao não darem os nomes corretos às coisas, comprova o quanto a perseguição aos cristãos é tão banalizada, enquanto a bandeira da “Islamofobia” vem crescendo cada vez mais. Não quero me deter aos motivos pelos quais disseram o que disseram, mas enquanto cristão, quero deixar claro aos respectivos mencionados, quem eram essas pessoas reunidas no último domingo, em uma igreja, unidos em uma mesma função.

Aquelas pessoas não eram simplesmente “fiéis da páscoa”, elas não estavam reunidas para adorar um fato, uma festividade ou simplesmente uma data, essas pessoas estavam reunidas, com um só princípio, adorar e exaltar aquele que na sexta-feira morreu esmagado e crucificado pelas maiores sujeiras, perversão, e pecados de nossos corações pecadores destituídos da glória do Salvador, no sábado deixou silêncio sobre a terra, e no domingo trouxe esperança e vida eterna, para todo aquele que nEle crê. Portanto, estavam ali reunidos naquela manhã, CRISTÃOS dispostos a entregarem suas vidas, por uma causa, por seu Senhor, Salvador e Rei sobre toda a terra. Nós enquanto cristãos, temos a certeza, que ali não foi a última vez que adoraram Jesus, mas o adorarão e O glorificarão por toda a Eternidade. A notícia foi extremamente triste, o coração sangra por ver um cristão ser perseguido por adorar aquEle que o libertou de si mesmo, e enquanto alguém envolvido no meio jurídico, quero cada dia mais lutar pela liberdade religiosa. Porém, uma coisa temos certeza, e essa certeza é de que a desgraça ocorrida no último domingo encontrou a Glória.

Termino este texto, com as palavras do Dr. Dustin Benge, que mais demonstram o sentimento de um CRISTÃO genuíno:

Podem bombardear nossas igrejas, podem nos arrastar pelas ruas, podem devastar nossas casas, podem destruir nossas bíblias, podem crucificar-nos, mas Jesus está VIVO, e continua construindo sua igreja, e nem o inferno inteiro podem O deter.

Disse-lhe Jesus: Eu sou a ressurreição e a vida; quem crê em mim, ainda que esteja morto, viverá;
João 11:25

Soli Deo Gloria!