Comportamento diante de uma sociedade

“Comportamento diante de uma sociedade imoral e amoral, materialista e inimiga de Deus”
TEXTO:
Atos 16.16-26

 

INTRODUÇÃO: No passado, muitos morreram por pregarem a verdade de Jesus Cristo, mas não só pregaram, como também viveram esta verdade. Os discípulos de Jesus mudaram o mundo, não com palavras somente, mas com seu comportamento amoroso, humano, justo e perdoador.

 

ELUCIDAÇÃO: O Livro ficou conhecido como Atos dos Apóstolos apesar de muitos teólogos acharem mais conveniente chamá-lo de Atos do Espírito Santo. O Evangelho de Lucas e Atos são um livro só. Os pais da Igreja dividiram em 2 para poder juntar os Evangelhos num bloco em separado. Quem escreveu este livro foi Lucas antes do apóstolo Paulo morrer, então a data deve ficar entre 64 e 68 d.C. Sabemos que foi Lucas o autor de Atos, porque o estilo de escrita é igual, ambas as partes são dedicadas a Teófilo e porque os Pais da Igreja sempre atribuíram este livro a Lucas. Sua intenção é mostrar o desenvolvimento da Igreja de Jesus, que começou pequena, com 12; para depois passar pela Judéia, Samaria, Roma e confins da terra. Contexto do texto: Paulo fez três viagens missionárias, nesta 2a ele havia se separado de Barnabé, com o qual começara seu ministério. Barnabé levou consigo a João Marcos e Paulo segue para Derbe e Listra onde conhece Timóteo e sua família Timóteo segue com Paulo (Lucas estava junto – observa-se o uso da 1a pessoa do plural ‘nós’ em todos os versículos do 11 ao 15). Seguiram até Filipos onde Lídia foi convertida ao Senhor. Nesta província de Filipos, Paulo pregava num lugar chamado “lugar de oração” (talvez um local onde as famílias judaicas refugiadas podiam orar. Parece que havia muitas mulheres e pouquíssimos homens, pois para se formar uma sinagoga eram necessários dez homens adultos). Pelo local ser afastado, na beira de um rio, percebe-se que os judeus não eram bem vindos a Filipos.

 

TEMA: Comportamento diante de uma sociedade corrompida (como o crente deve se portar diante de uma sociedade imoral e amoral, materialista e inimiga de Deus?)

 

  1. DESMASCARANDO A MENTIRA (v.18, 19)

 

A jovem que seguia Paulo e os demais era fonte de lucro para seus donos. Ela era, talvez, uma escrava usada como vidente, para prever o futuro em troca de dinheiro. Era uma arma de Satanás para desviar a atenção do povo daquela cidade, afim de que não prestassem atenção na palavra de Deus. Algo interessante de se perceber é que a moça, com espírito maligno, não estava mentindo. Ele estava dizendo exatamente o que os missionários eram “servos do Deus altíssimo”. Mas não é isso que garantia a aprovação de Deus para com aquilo que acontecia. Satanás usando-a, desviava a atenção do povo para a vidente ao invés de deixá-lo escutar a mensagem de Paulo e Silas.

Outro equívoco que poderia ocorrer era as pessoas acharem que Paulo tinha uma mensagem de Deus e que a menina vidente também tinha. Logo o povo pensaria que poderia acreditar em ambas as mensagens. Quando o poder de Deus desmascarou aquela astúcia do diabo, os donos da mulher se viram sem esperança de ganhar dinheiro fácil. Paulo e Silas foram cercados e arrastados até as autoridades, a fim de prestarem contas de um bem que haviam feito àquela população. Eles não haviam libertado não apenas a moça, mas todos os que eram enganados pelo diabo.

 

  1. PERTURBANDO A PAZ (v.20-22)

 

A paz da cidade não foi perturbada quando Paulo e Silas foram arrastados, mas quando eles se intrometeram no curso normal cotidiano daquele povo. Ora, aquela menina já estava ali a muito tempo, “por que eles tiveram que mexer no que tava quieto?”. Paulo abalou a estrutura, aparentemente firme, daquela sociedade. Paulo e Silas perturbaram a paz mostrando a verdade.

Os acusadores apelaram, em primeiro lugar, ao anti-semitismo, mas só queriam um motivo qualquer para impedir os missionários de falar. A mensagem de Paulo e Silas, o Evangelho de Jesus Cristo, abalou, perturbou os pilares de um sossego mentiroso. O que alguns disseram foi: “Nós estávamos em paz até que chegaram esses homens pregando uma nova doutrina!”. Uma multidão se formou e a tranqüilidade acabou. Nada disso era novidade para os pregadores do Evangelho, o Senhor Jesus já havia dito que tudo isso aconteceria (Mt 5.10, 11; 10.34-39).

 

  1. SENDO REJEITADO (vv.23, 24)

 

Esta não é uma atitude ativa como as anteriores, é mais uma conseqüência. Mesmo a acusação contra os pregadores Paulo e Silas, tendo sua base numa mentira, o texto diz que eles foram açoitados. Ninguém veio defender o direito dos pregadores. O ódio à verdade, “porque os homens amaram mais as trevas do que a luz” (Jo 3.19), fez com que os missionários fossem rejeitados por todos.

O que de mais honroso existia para aqueles homens era se identificar com os sofrimentos de Cristo, que mesmo sendo o Criador e Rei de Israel, fora rejeitado pelo seu povo. Os verdadeiros discípulos não poderiam esperar coisa melhor. O Evangelho de Mateus nos diz o tipo de rejeição que o Senhor Jesus sofria (Mt 11.19-24; 13.53-58), “ele veio para o que era seu, mas os seus não o receberam…” (Jo 1.11). tendo em vista a identificação de Paulo e Silas com o Senhor Jesus, eles foram rejeitados, julgados injustamente e condenados.

 

  1. GLORIFICANDO A DEUS EM TODO TEMPO (vv.25, 26)

 

Certamente este é um dos textos mais aclamados pela cristandade. Todos já ouvimos pregações sobre os louvores de Paulo e Silas na prisão. O que o texto apresenta é uma realidade de bendizer a Deus em qualquer circunstância. Mas por quê? Porque Jesus, o Salvador, merece de seus servos todo o louvor, a despeito do sofrimento. Paulo e Silas sabiam que Jesus é bom e que não os abandonara. Bem que eles poderiam ter murmurado e dito: “Por que conosco Senhor, já que estamos aqui para fazer a tua obra?”.

Eles não murmuraram porque reconheciam quem eles tinham sido e quem eram agora. Paulo e Silas foram transformados por Jesus, em filhos de Deus. No caso de Paulo, um perseguidor arrogante, mas agora um humilde perseguido, porém com certeza de que Deus estava sempre com ele. O louvor expressava isso. Paulo e Silas estavam numa cela, mas estavam também cheios de paz e do Espírito Santo. A vitória de Cristo na cruz, o perdão dos pecados, certeza de salvação, tudo isso era tão forte em seus corações que nenhuma situação difícil os faria para de louvar a Jesus.

 

APLICAÇÃO:

 

Quero convidar você a ser um perturbador da paz declarando a verdade de Jesus. Sua casa precisa ser sacudida com a verdade. Sua cidade e este país. O mundo precisa ouvir a verdade do Evangelho novamente. Não podemos nos calar diante dos enganos de Satanás. Milhões de pessoas enganadas conquanto à vontade de Deus e nós que sabemos nos omitimos porque não queremos acabar com a paz de certos lugares. Mas eu pergunto: que paz? Onde não existe Jesus não há paz. Ele é o Príncipe da Paz.

Não é o caso de ser alguém inconveniente ou mal educada, mas falar do puro Evangelho já é suficiente para que as mentiras sejam descobertas e para caírem as máscaras. É não se calar quando ouvirmos alguém falando sobre Deus, mas sem saber o que está dizendo. Você que sabe o que diz a Bíblia, corrija com amor e paciência aqueles que não conhecem e querem dizer: “Deus é assim”, e o outro diz: “Mas pra mim é assim!”. Eles estão cegos, mas você não está. Mexa nas estruturas. Alguns ficarão com raiva, falarão mal de nós, mas não se preocupe, as Escrituras estarão se cumprindo naquela hora e Jesus estará feliz no céu contigo.

Falando a verdade e desmascarando a mentira você irá perturbar a paz, as pessoas verão os castelos delas desmoronarem em suas frentes, mas estarão sendo derrubados pela Palavra de Deus que sair de sua boca. Não é um mal que você estará fazendo, pelo contrário, aquela pessoa verá que está vivendo no erro. Os barcos de suas vidas, que antes pareciam seguros se descobrirão cheios de buracos e quase afundando. A confiança dessas pessoas era colocada em coisas aparentemente fortes, mas quando a verdade do Evangelho chega, as torres caem e os escombros mostrarão quão frágil era a construção. Quantas casas construídas na areia!

Por meio de você o Evangelho vai perturbar a paz. Você será rejeitado por alguns e ferido por outros, mas cante louvores como fizeram Paulo e Silas. A paz de sua casa, de sua família, de seus amigos está esperando que você os abale com o Evangelho. Tudo que acontece para o mundo sem Cristo está normal e sob controle, mas quando o Evangelho chega com poder, algumas pessoas se embravecem por sentirem que não tem onde se esconder.

Algumas sentirão raiva e fugirão de Deus, mas outras virão humildemente até Jesus Cristo. Nós não sabemos quem virá, por isso todos são alvos. Paulo não sabia quem se converteria, as Escrituras não dizem que alguém da rua se converteu, mas que o carcereiro que cuidava de Paulo e Silas sim. Vocês acham que a intenção de Paulo era o carcereiro? Claro que não! Paulo pregava na rua, mas Deus sabia quem era o alvo, quem ele chamaria desde o princípio, mas para isso a paz de Filipos foi perturbada.

Quando você começar a perturbar a paz como fez Paulo e o próprio Jesus em sua cidade, as pessoas irão rejeitá-lo, outros não serão mais seus amigos, você poderá ser jogado na prisão da solidão, mas nunca estará sozinho de verdade, Jesus Cristo, o Senhor estará com você. Diante desta promessa não há como não louvar em todo tempo.

CONCLUSÃO:

 

O cristão não é feito de um material diferente dos outros seres humanos, mas o cristão tem promessas superiores de vida e paz. De perdão de pecados e salvação. Ao cristão é ordenado que pregue esta salvação que só se encontra em Jesus de Nazaré. P cristão precisa abalar o mundo com a pregação e com a vida. Não se conformar as injustiças. Ser santo para poder ser usado.

Quando o mundo mentir você dirá a verdade, quando o mundo estiver nas travas você será um luz que reflete Jesus Cristo, quando o mundo estiver em guerra, mostre de onde vem a sua paz, quando o mundo estiver chorando por causa dos problemas, cante louvores a Deus e ele abrirá as portas das prisões.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *