Além da Minha Dor

Hoje eu acordei, tomei banho, me arrumei, me maquiei, tomei meu café e fui trabalhar.

Cumprimentei meus colegas de trabalho, ri daquela piada sem graça, respondi os: “Como está?”; “Tudo bem”.  Aquele formalismo diário.

Quando sentei, olhei para todos aqueles rostos que vejo diariamente e fiquei procurando alguém que olhasse além do meu sorriso disfarçado, alguém que visse além das minhas palavras de está tudo bem, alguém que me socorresse.

Olhando para todos aqueles rostos tão envolvidos no seu trabalho, percebi que ninguém conseguia ver minha dor, meu desespero. Olhei para tudo e que tinha a fazer, coloquei meu disfarce diário e fui para luta de mais um dia.

 

Não, essa não é minha realidade!

Eu sou aquela que está ocupada demais, que está totalmente sem tempo, que está estressada, que está com problemas suficientes para não pegar mais nenhum.

Essa realidade é minha e sua! Não paramos para ouvir aqueles que estão perto de nós.  Não disponibilizamos nossos ouvidos e nem emprestamos nossos ombros.

Mas quando algo de errado acontece, somos mestres em julgar e dizer que aquela pessoa só está passando por aquilo pois se afastou de Deus, porque não ora, não lê a palavra e etc…

Eu e você somos instrumentos de Deus aqui na terra. Mas quantas vezes paramos para perceber se a pessoa que convivemos diariamente no nosso trabalho, na nossa igreja, na nossa família, na faculdade, no nosso grupo de amigos, está com algum problema?

Quantas vezes paramos para ajudar alguém, mesmo que isso custe algo de nós?

Cada um cuide, não somente dos seus interesses, mas também dos interesses dos outros.”

Filipenses 2:4

Eu ouço muito que a dificuldade do outro é simplesmente falta de Deus. Parece algo tão simples, encontre Deus e seus problemas estão resolvidos.

Talvez a maioria dos problemas das pessoas seja realmente espiritual. A questão não é se o problema é espiritual ou não. Nossa responsabilidade é ajudar e socorrer. Talvez ela realmente tenha que orar mais. Mas o que ela vai fazer se não encontra mais forças?

Talvez ela precise se achegar a Deus. Mas o que ela vai fazer se não consegue?

Será que não cabe a mim e a você ajuda-la? Quem sabe seja através de nós que a pessoa vai encontrar Deus. Se Deus está na sua vida, o amor D’ele vai transbordar e alcançar um coração contrito.

“Levem os fardos pesados uns dos outros e, assim, cumpram a lei de Cristo.”

Gálatas 6:2

Tenho pedido a Deus para que abra meus olhos, para que eu não fique tão focada em mim mesma, esquecendo-me que existem pessoas que necessitam de mim.

Que o amor de Deus seja manifestado em mim, e como ele vai ser manifestado se não for amando meu próximo?

Amados, amemo-nos uns aos outros, pois o amor procede de Deus. Aquele que ama é nascido de Deus e conhece a Deus.
Quem não ama não conhece a Deus, porque Deus é amor.
Foi assim que Deus manifestou o seu amor entre nós: enviou o seu Filho Unigênito ao mundo, para que pudéssemos viver por meio dele.
Nisto consiste o amor: não em que nós tenhamos amado a Deus, mas em que ele nos amou e enviou seu Filho como propiciação pelos nossos pecados.
Amados, visto que Deus assim nos amou, nós também devemos amar-nos uns aos outros.
Ninguém jamais viu a Deus; se nos amarmos uns aos outros, Deus permanece em nós, e o seu amor está aperfeiçoado em nós.
1 João 4:7-12

Não é fácil! Muitas vezes quero só fazer minhas coisas e não me incomodar com mais um problema que não é meu. Não quero “perder” meu tempo que poderia estar fazendo outras coisas e ter que parar e ouvir o desabafo de alguém.

É uma luta diária, as vezes eu venço e as vezes eu perco. Mas algo que meu tio me disse, faz-me refletir e mudar minhas atitudes: “muitas vezes nosso ministério não vai ser em outro país, em um hospital, em um presidio etc.. Mas vai ser no nosso trabalho, na nossa família, entre os nossos.”

Deus está nos dizendo, você quer ser semelhante a mim? Então mostra se tuas ações realmente refletem a mim.

Pois eu tive fome, e vocês me deram de comer; tive sede, e vocês me deram de beber; fui estrangeiro, e vocês me acolheram; necessitei de roupas, e vocês me vestiram; estive enfermo, e vocês cuidaram de mim; estive preso, e vocês me visitaram’. “Então os justos lhe responderão: ‘Senhor, quando te vimos com fome e te demos de comer, ou com sede e te demos de beber? Quando te vimos como estrangeiro e te acolhemos, ou necessitado de roupas e te vestimos? Quando te vimos enfermo ou preso e fomos te visitar?’ “O Rei responderá: ‘Digo a verdade: O que vocês fizeram a algum dos meus menores irmãos, a mim o fizeram’. 
Mateus 25:35-40

 

No Amor De Cristo

Juliane Mateus Manoel Ribeiro

2 comentários Adicione o seu
  1. Que contemplação incrivel! Exatamente, este é o ponto. Estamos sempre dispostos e a postos para dar um diagnostico, porem nunca estamos com tempo para doar nossa escuta, estender a mão e salvar alguém derramando sobre ela o amor do pai.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *