A importância da doutrina para solidificar a Fé

 

TEXTO: 1 TM 1:1-7

 

INTRODUÇÃO:

Os tempos passam, mas a Palavra de Deus permanece para sempre. O que nos causa pesar é ver que muitos têm usado as Sagradas Escrituras como se não precisassem de um cuidadoso estudo e reverência por elas.

Por causa de muitos falsos mestres a santa palavra de Deus tem sido ferida, também usada para se defender opiniões pessoais, bem como para criação de grandes heresias que tem levado muitos à condenação. E pessoas desse tipo dizem ter profundo respeito pela Bíblia, mas jamais pararam para estudar o que o Senhor quis dizer em determinados textos, preferindo pregar ao povo suas próprias experiências pessoais, que muitas vezes vão de encontro ao que ensina a Escritura.

Hoje em dia, muitos que são considerados líderes espirituais ,e grandes pastores, tem feito o povo de marionete empurrando-os para o erro simplesmente porque usam a Bíblia como querem e não ensinam aquilo que os apóstolos mais zelavam, a sã doutrina.

Existe uma guerra para ver quem enche mais a igreja, mesmo que para isso ensinem coisas que saem do seu próprio coração corrompido e da sua própria mente, usando a Bíblia como pretexto. Tais homens mostram que o que importa na vida do crente é simplesmente a fé ou o “poder”, como eles gostam de chamar, enquanto que a preocupação dos apóstolos era que a fé fosse guiada pela verdadeira doutrina.

Nunca, em toda história da igreja, se viu tanta tentativa de se transformar experiências pessoais em doutrina, enquanto Pedro, João e principalmente Paulo ensinavam que o vale é o testemunho da Palavra (doutrina) seguida pela fé e pelo poder que vem do Espírito Santo. Em suma, primeiro a Palavra, depois as experiências. Já escreveu o apóstolo Paulo em Rm 10:17: “E, assim, a fé vem pela pregação, e a pregação, pela Palavra de Cristo”, veja que Paulo coloca a Palavra em primeiro lugar, porque a Palavra é a verdade e não a minha opinião.

Talvez o que esses homens queiram hoje é ser líderes reconhecidos, homens de sucesso e até mais santos diante de suas ovelhas. Nessa carta que o apóstolo Paulo escreve a Timóteo, ele mostra que doutrinas falsas e homens que ensinam erros se passando por verdades existem desde aquela época. Mas também escreve para deixar bem claro que a igreja o Senhor deve ser reconhecida por uma doutrina verdadeiramente bíblica, bem como prática.

 

 

 

ELUCIDAÇÃO:

Autor: Paulo

Data: Entre 62 e 64 d.C.

Destino: talvez apenas a igreja em Éfeso, mas pode ter sido enviada a esta e as que ficavam em cidades próximas ao mesmo tempo.

Propósito: dizer a Timóteo que impedisse que aqueles falsos mestres ensinassem e que os irmãos não se esquecessem do que o apóstolo pessoalmente os havia ensinado.

Particularidades: Éfeso era uma cidade riquíssima e muito idólatra, nela estava o templo e a estátua da deusa Diana que talvez fosse o maior monumento da época.

 

TEMA: A IMPORTÂNCIA DA DOUTRINA PARA SOLIDIFICAR A FÉ. (A definição mais básica de doutrina é: o conjunto de afirmações bíblicas sobre um determinado assunto).

 

  1. I) A Doutrina Diferencia a Mentira da Verdade (v.3)

 

Podemos notar que o apóstolo manda Timóteo impedir que determinadas pessoas ensinem. A expressão que chama atenção é: “a fim de que não ensinem outra doutrina”. É óbvio que “outra doutrina”, se refere a algo que não estava de acordo com o que o apóstolo havia ensinado. Se havia uma doutrina errada (I Tm 4:6 “Expondo estas coisas aos irmãos, [v.4] serás bom ministro de Jesus, alimentado com as palavras da fé e da boa doutrina que tens seguido) é porque, também, havia uma correta. Alguns, em Éfeso, ensinavam que a ressurreição dos mortos já havia acontecido, que comer certos alimentos era pecado, e que o casamento também era pecado. Tudo isso porque interpretavam de qualquer forma o A.T e a Lei de Moisés. Estes queriam apenas aparecer.

 

  1. II) A Doutrina é Um Instrumento que Promove Amor (v.4,5).

 

Não estava havendo união, mas discussões que dividiam o povo prejudicando o corpo. Existia hipocrisia e fingimento. Uns criam em algumas coisas, outros em outras e não havia crescimento por causa dos grupos. (Ef. 4:12-14). O apóstolo Paulo diz que a doutrina serve como vínculo entre os irmãos para que pensem de igual modo (Fp. 2:2), a doutrina visa o amor, mas para isso o coração deve ser puro, a consciência deve ser boa, e a fé, desprovida de hipocrisia. Hipocrisia é fingimento, é dizer que concorda com algo e no fundo não concordar. É não ser cristão e fingir que é; é não suportar o outro e ser falso dizendo que o ama, é estar na Igreja e fingir que concorda com as crenças que são ensinadas lá. Enquanto agirmos assim a igreja continuará doente e nós colocaremos a culpa em todos, menos em nós mesmos.

 

III) A Doutrina Faz Diferença Entre o que Vem do Homem e o que Vem de Deus (v. 6,7)

 

A doutrina apostólica diz que devemos crer, na pura Palavra de Deus e não em palavreados bonitos e emocionalistas sem o mínimo fundamento bíblico (ilustrar com o caso da mulher que queria marchar dentro da igreja). Ela agiu pela emoção baseada em uma falsa interpretação do texto bíblico. Na verdade ela queria acertar, mas, por não ser doutrinada, não entendeu que a Bíblia apenas faz uma comparação entre a Igreja e um exército. Porém, o apóstolo Paulo afirma haver aqueles que fazem tais coisas com o intuito de divisão “… pretendendo se passar por mestres da Lei…”, então, ironicamente o apóstolo diz que nem mesmos tais pessoas sabem o que dizem.

 

APLICAÇÃO:

Crentes desunidos dentro da própria igreja por desvios doutrinários. Uns vem para os cultos de doutrina apenas por costume e não aprendem nada, outros vêm com intuito de aprender e são ensinados de verdade, já outros, bebem de todas as fontes e acabam fazendo um milk-shake na sua própria cabeça acreditando em ensinos verdadeiros e falsos ao mesmo tempo. Uma igreja com esse perfil jamais conseguirá sair do leite, pois muitos não conseguirão suportar o alimento sólido. Como remediar isso? Orando muito e dispondo o coração para aprender a verdadeira doutrina.

 

CONCLUSÃO:

Paulo diz a Timóteo que ele deve pregar, corrigir, repreender, exortar, porém, tudo isso, com longanimidade e com doutrina. Disse isso porque sabia que haveria de chegar o tempo em que o povo não aguentaria a sã doutrina, e mais, correria para os falsos mestres a fim de ouvir o que lhe fosse agradável e não a verdade. Paulo chega a dizer que eles se recusarão a ouvir a verdade e se entregarão às fábulas. São essas historinhas que tem adoecido as igrejas. Testemunhos que às vezes são antibíblicos, porém creditados pelo povo como se estivessem nas Escrituras e mesmo não tendo como provar asseveram que é verdade e àqueles que não foram doutrinados acabam por cair nas ciladas do inimigo defendendo algo que a Bíblia condena.

 

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *