Momentos corriqueiros, Idéias Brilhantes: Ibrahimovic e o que falta no cristão.

Um personagem autêntico e extraordinário em campo, e controverso, sobretudo muito polêmico fora de campo (ou até dentro). Este é o jogador de futebol Zlatan Ibrahimovic. Alguém que tive a oportunidade de acompanhar sua trajetória de sucesso em vários times que jogou. Mas o que mais me chamou atenção para que eu escrevesse esse artigo não tem nada a ver com o que ele faz com a bola, e sim sem.

Alguns cristãos hoje nos parecem acomodar com um cristianismo raso e sem perspectivas, propósitos e esperança… Afundando num evangelho do homem e não de Deus. Zlatan embora não cristão e muito polêmico, nos constrói algumas bases para identificarmos se o evangelho que pregamos é falso ou verdadeiro.

O primeiro ponto que queria destacar é a fama que Zlatan fez. Ele não fez por ganhar algo como um prêmio de melhor do mundo ou de campeão de algo por um time ou seleção. Mas nunca deixou de fazer o extraordinário e esse extraordinário que move e comove fãs em todos os lugares. Percebo que hoje cristãos só querem se destacar como comunidade do tipo: sou calvinista, sou cessacionista, sou da igreja tal onde prega aquele irmão, sou da igreja que pelo menos tem eventos… São títulos e nada mais. Agora o individual de cada um que chamou atenção do público como narrado em Atos 4:32, quase não tem. São muitos entregando um evangelho fácil e poucos mostrando ao pobre, cansado e oprimido que Jesus é o único caminho, que nós somos a sua imagem e semelhança. Está faltando…

… Personalidade! Ibrahimovic não é o cara que se esconde por ser quem é. Não acho só hilário como até sério algumas de suas entrevistas se colocando como alguém que é o que é. Sua identidade é Zlatan … suas brincadeiras movem através de sua identidade e ele se constrói e reconstrói através de uma identidade : Zlatan é Zlatan!

Cristãos hoje estão sem personalidade, criam uma personalidade deles mesmos … ou seja, nada. Se o evangelho parte do centro ser não os cristãos mais o próprio Cristo … então não corresponde os cristãos terem a personalidade deles mesmos. O cristianismo parece não ter Cristo, mas se desenvolve em EUismo. O ego transpassa as razões de crermos verdadeiramente em Deus.

Essas duas bases já nos ajudam a entender melhor se somos autênticos cristãos ou falsos cristãos. Se Ibrahimovic não tivesse esse jeito de ser, seria difícil de conquistar um público tão grande. Da mesma forma, se não tivermos personalidade cristã verdadeira e um pensamento um pouco mais individualista (sem nos gabar com títulos) de agir para o Reino de Deus, talvez estejamos criando um senso de cristianismo verdadeiro e entregando aquilo que Deus quer para seu povo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *