A vida que glorifica a Deus

No tempo em que vivi no pentecostalismo (pela Graça de Deus fui convertido a fé reformada) aprendi que, a maior forma de glorificar a Deus era com palavras bonitas e ou “ganhando” almas pra Cristo.
Mas com o tempo fui aprendendo que palavras bonitas não agradam tanto a Deus quanto viver uma vida em conformidade com a vida de seu filho amado, Jesus.

Joel Beeke em seu livro Vencendo o Mundo, escreve no capítulo 8 – capítulo que tem como titulo: A chamada ao cultivo da santidade – ele começa com uma ilustração bem bacana.

“O agricultor piedoso que ara a sua terra, planta a semente, fertiliza-a e cultiva-a está bastante ciente de que, em ultima analise, depende totalmente de forças exteriores a si mesmo, para que tenha colheita garantida. Ele sabe que não pode fazer a semente crescer, a chuva cair ou o sol brilhar. Apesar disso, ele cumpre sua tarefa com diligencia, olhando para Deus, a fim de que Ele o abençoe, e reconhecendo que, se Ele não fertilizar e cultivar sua semente, a colheita será escassa.”

De modo semelhante, a vida cristã é como um jardim que tem ser cultivado, dia após dia, afim de produzir os frutos do viver santo para Deus. William Ames escreveu que “a teologia é a doutrina ou o ensino do viver para Deus”.

Em varias passagens bíblicas somos exortados a viver uma vida de santidade. (1 Pe 1:16; 1 Ts 4:7; Hb 12:14; Rm 12:2)
O motivo de buscarmos viver uma vida de santidade (separada) é o próprio Deus. (Is 57:15)
A santidade é o pano de fundo de tudo o que a bíblia declara sobre Deus, então, sua justiça, sabedoria, poder e graça estão todos estampados em santidade.

Somos chamados e exortados a viver uma vida de santidade, mas a duvida esta em como podemos viver essa vida.

Seja amante e conhecedor das Escrituras

O primeiro passo para viver em santidade é conhecer as Escrituras.
Nela nosso Criador revela toda a sua santidade, e seu Filho revela o como viver a santidade.
“Santifica-os na verdade; a tua palavra é a verdade.” Jo 17:17
Nosso coração deve estar ardente pelo conhecimento sobre nosso Criador, assim como uma criança anseia por alimento quando esta com fome. (1 Pe 2:2)
Permita que as Escrituras contaminem seu coração com toda a santidade, eliminando toda a impureza causada pelo pecado.
Use as Escrituras para examinar tudo em sua vida. Joel Beeke desenvolve uma “formula” de examinação bem interessante:
“Quando você estiver hesitante quanto ao modo de agir, pergunte a se mesmo:
– Isto glorifica a Deus? (1 Co 10:31)
– É coerente com o senhorio de Cristo? (1 Co 7:23)
– É coerente com exemplos bíblicos? (1 Co 11:1)
– É licito e beneficente para mim – nos aspectos espirituais, físico e mental? (1 Co 6:9-12)
– Ajuda os outros de maneira positiva e não os fere desnecessariamente? (1 Co 10:33; 8:13)
– Isto me coloca sob um poder escravizante? (1 Co 6:12)

Deixe a Escritura ser da bússola, para guia-lo no cultivo da santidade, na tomada de decisões da vida e no enfrentar as ondas elevadas de aflição pessoal.”

Gastar tempo com Deus é essencial para o desenvolver de um relacionamento com Ele.

Fortalecendo nos Sacramentos

Os Sacramentos do Senhor complementam sua Palavra, eles nos afastam de nós mesmos, nos direcionando a crer em Cristo e em seu sacrifício realizado.
Busque, frequentemente, a Cristo pela Palavra e pelas ordenanças (sacramentos). A fé em Cristo é um poderoso motivador que nos impele à santidade, visto que a fé e o amor ao pecado não podem se misturar.
Calvino entende a teologia sacramental como “a forma visível de uma graça invisível”. 

Morra para o pecado

“Da mesma forma, considerem-se mortos para o pecado, mas vivos para Deus em Cristo Jesus.” Rm 6:11

Martyn Lloyd-Jones escreveu:

“Para compreendermos isso, é necessário que retiremos de nós aquele velho senso de desesperança que todos conhecíamos e sentíamos por causa do terrível poder do pecado… Posso dizer de mim mesmo que não estou mais sob o domínio do pecado e que estou sob o domínio de outro poder que nada pode frustar.”

Quando você percebe que morreu para o pecado, isso não quer dizer que você não tenha mais que lutar contra ele, muito pelo contrario, é ai que sua luta começa, para que ele não volte a viver mais em você.

Nunca pare de orar

A santidade e a oração têm muitas coisas em comum. Ambas são centrais a fé e à vida cristã. São obrigatórias, e não opcionais. Ambas se originam em Deus e se focalizam nEle. Ambas são ativadas em nossas vidas, por meio da obra do Espírito Santo. Uma não sobrevive sem a outra, e ambas são aprendidas por experiencia e por lutas espirituais.
Já dizia um grande pensador brasileiro (brincadeira claro rs) “historias, nossas historias, dias de luta, dias de glória” – Chorão, e essa frase pode se resumir nossa vida de oração e santidade. Dias vencemos nossa luta pela santidade, dias perdemos a mesma luta pro pecado.
Tentar viver uma vida de santidade sem estar deleitado em oração, é a mesma coisa que entrar em uma batalha já derrotados. Quantos já passaram pela experiencia de, sermos tentados em certa área de nossa vida, e sairmos vitoriosos, e no dia seguinte cedermos a mesma tentação do dia anterior. E logo após o ocorrido, ficarmos tão irados a ponto de quase desistir de tudo.
Isso geralmente acontece por não termos uma vida totalmente deleitada em oração e devoção a Deus. Quando temos uma vida deleitada, erramos sim, falhamos sim, mas nossas falhas ao invés de produzir ira, produzem um ódio contra o próprio pecado, e produzem mais ainda um coração voltado ao deleite em Deus, para que Ele, através de Seu Espírito Santo, produza mais fé, força e Graça em nossos corações, para que através dEle possamos vencer nossas lutas.
Deitar em Deus é depender totalmente dEle, sem uma vida de dependência de Cristo, não possuímos santidade.

Cultive sempre uma vida de santidade. A santidade não é um caminho para Cristo. Cristo é o caminho para a santidade. Vivendo nEle, ando com Ele, assim reproduziremos uma vida de Santidade.
“Fui crucificado com Cristo. Assim, já não sou eu quem vive, mas Cristo vive em mim. A vida que agora vivo no corpo, vivo-a pela fé no filho de Deus, que me amou e se entregou por mim.” Gl 2:20

“A santidade não é um mérito pelo qual atingimos a comunhão com Deus, e sim im dom de Cristo que nos capacita a nos apegarmos a Ele e segui-Lo”
– João Calvino

 

Que Deus, através da sua infinita Graça e Sabedoria, possa capacitar cada dia mais a sua vida, apara que ela sempre O glorifique.

8 comentários Adicione o seu
  1. Foi bom esperar por esse texto! Valeu a pena cada palavrinha da leitura, Deus continue te usando em seus textos e em sua vida cristã grande amigo! Parabéns!
    Soli Deo Gloria!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *