Reflexão em Lamentações

O que podemos compreender lendo Lamentações 3.18-33?

18  Então disse eu: Já pereceu a minha força, como também a minha esperança no SENHOR.
19  Lembra-te da minha aflição e do meu pranto, do absinto e do fel.
20  Minha alma certamente disto se lembra, e se abate dentro de mim.
21  Disto me recordarei na minha mente; por isso esperarei.
22  As misericórdias do SENHOR são a causa de não sermos consumidos, porque as suas misericórdias não têm fim;
23  Novas são cada manhã; grande é a tua fidelidade.
24  A minha porção é o SENHOR, diz a minha alma; portanto esperarei nele.
25  Bom é o SENHOR para os que esperam por ele, para a alma que o busca.
26  Bom é ter esperança, e aguardar em silêncio a salvação do SENHOR.
27  Bom é para o homem suportar o jugo na sua mocidade.
28  Assente-se solitário e fique em silêncio; porquanto Deus o pós sobre ele.
29  Ponha a sua boca no pó; talvez ainda haja esperança.
30  Dê a sua face ao que o fere; farte-se de afronta.
31  Pois o Senhor não rejeitará para sempre.
32  Pois, ainda que entristeça a alguém, usará de compaixão, segundo a grandeza das suas misericórdias.
33  Porque não aflige nem entristece de bom grado aos filhos dos homens.

Reflitamos:

Tempos difíceis, todos temos, não sabemos o que pensar, o que dizer, com quem falar, como proceder. Assim foi também , com Jeremias, ao ver o que aconteceria com Judá. E isto só o mostrou o quanto ele era pó, o quanto ele era nada. Isso o fez buscar graça, misericórdia e compaixão da parte de Deus. E então em meio a dor, ele pôde ter uma visão diferente. Pôde em meio a dor louvar e agradecer, sabendo que em Deus ele aguardaria e que por tudo aquilo, em Deus, suportaria.

Precisamos ser mais gratos, mais firmes e mais íntimos do nosso Senhor e Salvador.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *