A Mulher Bíblica

Enganosa é a beleza e vã a formosura, mas a mulher que teme ao Senhor, essa sim será louvada.
Provérbios 31:30

Para mim, esse versículo de provérbios resume todo o ensino de como a mulher deve se comportar e entra em concordância com o que Paulo diz em sua carta a Timóteo:

“Da mesma forma quero que as mulheres se vistam modestamente, com decência e discrição, não se adornando com tranças, nem ouro, nem pérolas, nem roupas caras, mas com boas obras, como convém a mulheres que professam adorar a Deus.”
1 Timóteo 2:9,10

O padrão ou modelo de qualquer pessoa que serve a Deus deve ser Cristo.
Precisamos compreender que ser cristã não é viver de modo legalista, apenas cumprindo regras, mas sim desfrutar de um relacionamento íntimo com Deus.

Há certo preconceito com a modéstia da mulher, vivemos em uma sociedade que determina qual é o padrão de beleza, qual a roupa que devemos vestir para estar na “moda”, como devemos nos portar para ser “fashion”, como a mulher tem que se destacar na sociedade e por aí vai.
Entretanto, nós como cristãs não devemos seguir o que é ditado pelo padrão do mundo. Nossa maneira de se vestir, de falar, de agir não pode se basear no comportamento do mundo, mas sim no que as Escrituras dizem.

Quando se fala que a mulher deve ser modesta, logo se pensa que isso a rebaixa, faz dela alguém sem voz, uma pessoa que não é vista.
Mas tem uma coisa que precisa ficar clara. Ser modesta não é algo que apaga a personalidade da mulher. Certamente não significa usar algo esquisito, feio, sem graça, e submeter-se a princípios legalistas que sufocam a mulher.
Uma das principais qualidades de quem é modesta é a humildade! Ter atitudes simples e delicadas; Se vestir de modo suave e santo, que não desperte aclamação de todos para si, mas de um modo puro, demonstrando um espirito livre de luxuria e vaidade. Cristo deve ser refletido em nossas vidas de um modo que nossas roupas sofisticadas se tornem imperceptíveis.

Temos que cuidar para não estar vivendo em legalismo e nosso coração não estar voltado para Cristo. Da mesma maneira não “se escorar” na fala de que, o que Deus quer é nosso coração. A necessidade é o equilíbrio.

Na verdade Ele realmente quer o nosso coração. Isso é um fato. Deus quer de nós um coração quebrantado, derramado aos seus pés. A transformação do homem e da mulher provém de um novo nascimento. Mas não tem como recebermos a Jesus e crermos no seu sacrifício na cruz, sem sepultarmos nossa vida antiga.

“Pelo que, se alguém está em Cristo, nova criatura é; as coisas velhas já passaram; eis que tudo se fez novo”. (II Cor. 5.17).

A partir do momento que estamos em Cristo, o Espirito Santo começa uma obra de transformação e santificação em nossas vidas. Essa transformação começa primeiramente no nosso interior e consequentemente refle em nosso exterior.

Por mais que uma pessoa ande com roupas decentes e seja moralmente correta, não significa que passou por um novo nascimento.
O Senhor é que sonda o coração do homem e conhece suas intenções. Mas, uma pessoa que tem o exterior ofuscado pela lascívia e não reflete o caráter de Cristo, já demonstra que não tem um coração transformado.

As pessoas tem que olhar para nós, e ver o reflexo de Cristo.

É importante destacar que essa mudança de comportamento em nossas vidas, não ocorre de maneira forçada. Deve ser um processo natural, que na medida que nos aproximados de Deus, naturalmente nos portamos de maneira que agrade a Ele. Deixamos o Espírito de Deus guiar nossos passos, e Ele vai moldando nosso caráter a semelhança de Cristo.
A partir de então, desejaremos viver o padrão de pureza e santidade de Deus e todas nossas ações, roupas, palavras, os lugares que frequentamos, passarão a refletir um coração que queira honrar a Jesus.

Em resumo, a mulher que quer viver segundo o padrão de Deus, vai ter seu valor definido não pela aparência, mas por ter uma vida voltada para Deus, dependendo totalmente dEle e caminhando em obediência a sua palavra.

Digo, porém: Andai em Espírito, e não cumprireis a concupiscência da carne.
Porque a carne cobiça contra o Espírito, e o Espírito contra a carne; e estes opõem-se um ao outro, para que não façais o que quereis.
Mas, se sois guiados pelo Espírito, não estais debaixo da lei.
Porque as obras da carne são manifestas, as quais são: adultério, fornicação, impureza, lascívia,
Idolatria, feitiçaria, inimizades, porfias, emulações, iras, pelejas, dissensões, heresias,
Invejas, homicídios, bebedices, glutonarias, e coisas semelhantes a estas, acerca das quais vos declaro, como já antes vos disse, que os que cometem tais coisas não herdarão o reino de Deus.
Mas o fruto do Espírito é: amor, gozo, paz, longanimidade, benignidade, bondade, fé, mansidão, temperança. (Grifo meu)
Gálatas 5:16-22

No amor de Cristo

Juliane M M Ribeiro 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *