Tudo é vaidade, já dizia o pregador…

Todos os esforços são nulos
Todas as tentativas de se firmar são em vão.
As noites que passam e os dias que vão
As palavras não ditas
E os discursos sobre o silêncio
Solidão…
Solidão…
Solidão…
Esta palavra ecoa.

Quando chegarei ao porto?
Quando encontrarei o meu Criador?
Só o Senhor é minha rocha eterna.
Só olhando para Ti tenho condições de prosseguir
Ainda que não saiba meu destino aqui
Contigo minha morada é certa.

Trago minha esperança comigo,
O choro travando a garganta,
Uns olhos sedentos de amor,
Os braços estendidos para te seguir…
Para onde? Para onde?
Para onde me tem levado o teu Espírito?

Lutarei contra todas as expectativas que me rodeiam?
Contra todas as dúvidas guardo meu silêncio e minha oração.
O Senhor me compreende.
Me socorre,
Me prepara um caminho que é Seu…
E não compreendo…
Mais e mais me sinto mais sem chão na terra dos viventes!
Só o Senhor é minha porção,
Só o Senhor é meu pão.
Do teu poço fluem águas puras,
Águas rejeitadas pelo mundo.

Abre meus ouvidos e fala!
Fala comigo como Pai que socorre um filho amado
Porque preciso da Sua instrução…
Porque sem teu conselho eu morro!
Eu não sei andar sem o Senhor,
Eu não posso viver sem tua direção!

 

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *