Não durma de olhos abertos

Não durma de olhos abertos

Hoje à noite eu descobri que estar acordado, não é estar de olhos abertos. Claro que quando acordamos, abrimos os olhos e abrir os olhos significa exatamente isso, que não estamos mais dormindo. Abrir os olhos também serve de metáfora para “atenção”, para se dizer que alguém está preparado para alguma situação. Estar de olhos abertos também significa “não perder as oportunidades”, porque as oportunidades, como dizem, “passam muito rápido” e nós não podemos perdê-las!

Contudo, quando olho para 1 Tes. 4.13-18; 5.1-3, percebo que a maioria do mundo está dormindo de olhos abertos. Ou pior, dormindo na certeza inocente de estarem bem acordados. Eu sou cristão, e como tal, olho para este texto – e para tantos outros – e vejo a situação de amigos amados e familiares. Paulo, nesses poucos versos, fala muito sobre os que dormem e, obviamente, é uma metáfora para os que já morreram. Não é sobre esses que estou falando. Falo mais precisamente daqueles versos do capítulo 5, nos quais são descritos os tempos do fim. Os tempos do fim serão caracterizados pela dormência. Serão conhecidos pelo sono dos que pensam estar acordados.

Não havia (nem há) necessidade que se escreva sobre tempos e épocas da vinda do Senhor, porque há certeza de que este Dia está oculto aos seres humanos. A despeito disso, de Deus haver ocultado isso de nós (louvado seja seu nome!), não temos desculpa de vivermos como ébrios ou como quem dorme. Fomos chamados a viver bem acordados. Devemos permanecer acordados porque o Dia do Senhor vem “como ladrão de noite” (1 Ts 5.2), porque se um pai de família soubesse a que horas viria o ladrão, ele não dormiria (Mt 24.43, 44), mas esperaria atentamente para não ser pego de surpresa.

O Dia do Senhor também virá precedido de uma falsa sensação de paz e tranquilidade. São sensações como essas que nos dão sono. Tudo aqui – tranquilidade e paz – coopera para o sono pecaminoso. Tudo se junta a fim de que os ébrios e materialistas, tornem-se cada vez mais relaxados e displicentes quanto a mensagem do Evangelho e a repentina vinda do Senhor. Ora, se estar dormindo representa uma vida despreocupada com Jesus, seu retorno e seu governo, estar acordado significa ter consciência da pessoa bendita de Jesus Cristo, de seu retorno em breve, e da instalação definitiva de seu governo sobre todas as coisas.

Esta esperança bendita deve ser precedida, como dito pelo apóstolo Paulo, por uma sensação de paz e uma segurança enganadora. Os que foram avisados, mas agem como desavisados permanecerão sonolentos e serão pegos. Esses são os que vivem no mundo e para o mundo, na verdade, para si mesmos, são seculares em seus pensamentos e ações. São pessoas deste “seculum” (de onde ver a palavra secular). Para eles, só há esta era, este tempo e estão de olhos abertos para tudo que lhes interessa, mas dormindo para o que, de fato, é real. São como noivas despreparadas (Mt 25.1-13).

Como pode bilhões de pessoas, em um ativismo louco de nossa era, com tanta correria, com tantas “coisas importantes” para resolver, dizer-se sobre elas, que estão num profundo sono? Mas é a realidade. Nossa época é tal qual a de Noé. As pessoas eram seculares, elas casavam, davam-se em casamento, bebiam e comiam, preocupavam-se com este tempo apenas, como se não houvesse eternidade, como se nada mais importasse (Mt 24.36-44). Este povo secular, povo dormente, só despertou tarde demais,  já estavam sendo arrastados pela torrente d’água. Assim será no Dia do Filho de Homem. Haverá um despertar dos que estão dormindo, mas não um despertar para arrependimento e salvação, pelo contrário, um “despertar em movimento”, quando estiverem sendo lançadas na negridão das trevas.

Terrível será este Dia em que se acordará para a morte. Não há como escapar desse Dia; é o tempo da vingança do Senhor contra todos os seus inimigos. O profeta Amós (5.16-20) descreve quão inútil é tentar escapar deste terrível Dia do Senhor. Nem fora de casa, correndo pelas ruas, de beco em beco, nem dentro de casa, lugar de nosso sossego. Lugar algum da terra poderá ser chamado “lugar seguro”, ninguém poderá dizer: “Estou salvo! Aqui, o Senhor não me verá! ”. Neste dia sim, os que estiverem dormindo para o Senhor, acordarão, mas será, infelizmente, muito tarde.

O que precisamos fazer diante disso? Bem, precisamos acordar os que estão dormindo. Pela graça e poder de Deus, pregarmos o “Evangelho do despertar”. Além de nos preocuparmos com os que estão dormindo, preocupemo-nos com os que estão quase dormindo, abandonando a fé, voltando para o profundo sono que leva a morte. Apresentar Jesus Cristo, o Filho de Deus, o Rei do reino, aos que estão dormindo é o único modo de acordá-los. O Espírito Santo ainda usa a Igreja, ainda usa a pregação para, pelo poder do Deus Vivo, levantar os mortos.

Que o Deus que nos despertou do profundo sono, use-nos para despertar tantos outros a fim de que vejam sua glória na face de Jesus Cristo.

4 comentários Adicione o seu
  1. Que possamos de fato acordar, e abrir o nossos olhos para o que realmete é importante, a vinda do nosso salvador, que nos atentamos para o evangélio, e nos fortalecer na verdade e justiça de Deus!!! 🙌🙌😙😙

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *