Perseverança

Sou uma pessoa muito empolgada e animada para tudo, mas quando vai se tornando difícil eu não persevero. Essa é minha maior dificuldade, e isso acontece em todas as áreas da minha vida. O Engraçado é que muitas pessoas não conseguem identificar isso em mim. É porque aquilo que sei, procuro fazer com perfeição, mas se algo começa a exigir de mim, vou desanimando.

Percebo que essa falta de perseverança reflete principalmente no meu relacionamento com Cristo. Não digo parar de ir na igreja, de me envolver em ministérios, mas aquele relacionamento íntimo e profundo com Deus. Pois uma coisa que tenho percebido no meio cristão é que as pessoas confundem “envolvimento no templo”, com “relacionamento com Deus”. Isso não é a mesma coisa. Há muitas pessoas assíduas em cultos e reuniões da igreja, mas com almas vazias de comunhão com Cristo.

Eu estive assim, mas minha alma clamava por Deus. Encontrei-me sem condições de dobrar os meus joelhos, com um coração contrito e quebrantado diante do Pai, sem condições de ler a bíblia e conseguir entender o que estava escrito. Quando percebi, estava com leituras e orações superficiais e não conseguia perseverar em um relacionamento profundo com Deus.

Mas essa superficialidade começou me incomodar profundamente, e percebi que eu estava encontrando muitas desculpas para não perseverar na oração e leitura bíblica. Pois se tem algo que temos imensa capacidade e de arranjar desculpas para tudo. Nós sempre colocamos a culpa em alguém ou nas circunstâncias, para não fazer algo. Eu estava fazendo isso e esperando resultados rápidos, mas é necessário constante prática e tempo.

 A verdade é que nós dizemos não conseguir orar mas nem fechamos os nossos olhos. Nós dizemos que não entendemos a bíblia, mas nem pegamos ela na mão. E mesmo quando dobramos nossos joelhos para orar, ou pegamos a bíblia para ler, e não sentimos nada, usamos isso como motivo para não continuar.

Mas a Palavra diz para nós persistirmos:

“Alegrai-vos na esperança, sede pacientes na tribulação, perseverai na oração; “ (Romanos 12.12)

Precisamos orar e ler a bíblia por obediência e Cristo vai despertar cada dia mais em nossos corações, o desejo para estarmos em sua presença.

Percebi que se eu não me esforçasse, iria continuar exatamente onde estava e sem sentir absolutamente NADA. Vi-me diante de Cristo e de todas as suas verdades. Não podia ficar indiferente à isso! Quando nos deparamos com Ele em nossa vida, ela tem que mudar, mesmo que sair da zona de conforto que estamos não seja fácil!

Perseverar ao encontro de Cristo, em um mundo que nos oferece tantas distrações é realmente difícil. Nossa natureza tende procurar aquilo que é cômodo e não nos exige esforço; aquelas coisas que podemos ver e são óbvias. Mas caminhar com Deus é confiar em sua soberania, ainda que não vejamos nada em nossa frente, tendo a certeza que ele nos conduzirá por veredas retas e justas. Ele nunca vai nos desamparar, pois em tudo tem um propósito.

“Ora, a fé é a certeza daquilo que esperamos e a prova das coisas que não vemos.(Hebreus 11.1)

Precisamos perseverar buscando intimidade com o Pai e nos enchendo do Espírito Santo. Quando não valorizamos essa comunhão, trocando esses momentos por qualquer outra coisa, estamos negligenciando tão grande salvação concedida a nós na cruz no calvário. Assim menosprezamos todo o sacrifício de Cristo para nos salvar e nos dar livre acesso ao Deus.

“Por esta razão, importa que nos apeguemos, com mais firmeza, às verdades ouvidas, para que delas jamais nos desviemos. Se, pois, se tornou firme a palavra falada por meio de anjos, e toda transgressão ou desobediência recebeu justo castigo, como escaparemos nós, se negligenciarmos tão grande salvação? (Hebreus 2.1-3) 

Não havia nenhuma acusação contra Ele, mas mesmo assim se entregou por mim e por você. Jesus nos amou com um amor além da nossa compreensão. Negligenciaremos esse sacrifício?

O autor aos hebreus vai nos dizer que:

“Portanto, também nós, uma vez que estamos rodeados por tão grande nuvem de testemunhas, livremo-nos de tudo o que nos atrapalha e do pecado que nos envolve, e corramos com perseverança a corrida que nos é proposta, tendo os olhos fitos em Jesus, autor e consumador da nossa fé. Ele, pela alegria que lhe fora proposta, suportou a cruz, desprezando a vergonha, e assentou-se à direita do trono de Deus. Pensem bem naquele que suportou tal oposição dos pecadores contra si mesmo, para que vocês não se cansem nem se desanimem. (Hebreus 12:1-3) 

 Cristo nos deu uma esperança gloriosa de um dia estarmos com Ele. E é nisso que devemos nos apoiar. Perseveremos com confiança a corrida que nos é proposta, nos despojamos de tudo que nos atrapalha e nos impede de chegar ao fim dessa corrida.

“Tendo sido, pois, justificados pela fé, temos paz com Deus, por nosso Senhor Jesus Cristo, por meio de quem obtivemos acesso pela fé a esta graça na qual agora estamos firmes; e nos gloriamos na esperança da glória de Deus.

Não só isso, mas também nos gloriamos nas tribulações, porque sabemos que a tribulação produz perseverança; a perseverança, um caráter aprovado; e o caráter aprovado, esperança.

E a esperança não nos decepciona, porque Deus derramou seu amor em nossos corações, por meio do Espírito Santo que ele nos concedeu.” (Romanos 5:1-5)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *