Trump, Globalismo e a Cruz

Estamos vivendo em uma ilusão de democracia, pois não pensamos por nós mesmos. Somos influenciados pelo que a mídia televisiva, revistas e jornais noticiam. Inconscientemente, tomamos aquelas notícias como verdade e sequer temos o senso crítico de desconfiar se aquela informação tem uma base confiável para sustentarmos as nossas pressuposição pelos argumentos mencionados por essas grandes corporações.
Desconfiar da cosmovisão dos grandes poderosos do globalismo e das ideias politicamente corretas deles nos tornam racistas, xenófobos, homofóbicos,entre outros adjetivos. Eles não terão misericórdia de quem ousar ser contra o status quo vigente, eles simplesmente destruirão a reputação dos seus inimigos de tal forma que poucos terão consciência de que aquilo foi um circo armado, uma verdadeira campanha difamatória. Portanto, a mídia e os globalistas pouco se importam com o caráter de tal líder, desde que ele atenda os interesses das grandes corporações que estão no domínio da aldeia global, tais como a ONU, os Rockefeller, entre outros.
Estes conceitos citados são apenas um vislumbre do que é o globalismo. Eis o significado de globalismo de acordo com o instituto Mises : O globalismo é uma política internacionalista, implantada por burocratas, que vê o mundo inteiro como uma esfera propícia para sua influência política. O objetivo do globalismo é determinar, dirigir e controlar todas as relações entre os cidadãos de vários continentes por meio de intervenções e decretos autoritários” ¹

Donald Trump, atual presidente dos Estados Unidos, defendeu ideias contrárias ao globalismo, tais como o fechamento das fronteiras com os Mexicanos e com países islâmicos, políticas contra aborto e valorização da família e das igrejas cristãs, tanto evangélicas quanto católicas, que estavam sendo sufocadas no governo Obama. ²
Essa cosmovisão conservadora foi uma ameaça a toda essa teia global. Aí começou uma avalanche de denúncias contra ele (Trump), a maioria recheada de calúnias. Uma delas é a acusação dele ter se envolvido com prostitutas russas, sendo que o marido da sua adversária democrata nas campanhas, Hillary Clinton, teve os escândalos sexuais do seu marido Bill Clinton completamente abafados pela mídia.

A questão para os detentores dos meios de comunicação não é sobre certo ou errado, mas atender ou não aos seus interesses. Existe uma cartilha pronta: Tentar acabar com a soberania das nações visando um poder global, atacar as famílias tradicionais com restrições às igrejas e defesas da legalização do aborto, dentre outros motivos.
Desta forma, Trump discursou tais palavras na sua campanha presidencial:
“Nosso movimento é sobre a substituição de um establishment político fracassado e corrupto por um novo governo controlado por vocês, o povo americano. O establishment de Washington e as corporações financeiras e midiáticas  que os financiam existe por apenas uma razão: para se proteger e enriquecer” ³

O conceito de certo e errado está chegando a um desuso, estamos servindo de massa de manobra da patrulha do politicamente correto. As declarações dos inimigos do senso comum são caluniadas, suas vidas pessoais são devassadas e a imparcialidade vai para o espaço.
Olhamos para a mídia em geral e vemos que não há um interesse pela verdade, mas somente um interesse econômico e cultural. Abafar ou minimizar os escândalos dos seus protegidos e lançar flechas sobre os inimigos do sistema. Outra declaração de Trump é bem interessante sobre a mídia:
“A mídia corporativa não está mais envolvida em jornalismo. Eles são uma força política igual a qualquer outro grupo lobista ou outras entidades financeiras com uma agenda política definida. E essa agenda política não é para vocês, mas para eles mesmos “. (4)

 

Defender o certo é algo muito perigoso, pois faremos muitos inimigos. Somente seremos aceitos se nos engajarmos na causa global e desprezarmos aquilo que está escrito nas Escrituras. Jesus disse aos seus discípulos:
“Se o mundo vos odeia, sabei que primeiro do que a vós outros, me odiou a mim. Se vós fôsseis do mundo, o mundo amaria o que era seu; como, todavia, não sois do mundo, pelo contrário, dele vos escolhi, por isso, o mundo vos odeia. ( Jo 15. 18,19)

O caminho do conservadorismo, por mais que as pessoas achem intolerante, é o certo pois está de acordo com conceitos fundamentados na palavra de Deus. Portanto, ser rejeitado pelo mundo é algo digno de louvor, pois estamos sendo aceitos por quem realmente merece nosso louvor e é o senhor de toda a moralidade e bons costumes, o senhor Jesus Cristo. Termino o texto com uma citação de John MacArthur:
“Em outras palavras, o desprezo do mundo pelo Cristianismo deriva de motivos morais, não intelectuais. “O julgamento é este: que a luz veio ao mundo, e os homens amaram mais as trevas do que a luz; porque as suas obras eram más. Pois todo aquele que pratica o mal aborrece a luz e não se chega para a luz, a fim de não serem arguidas as suas obras” ( Jo 3: 19,20). É por essa razão que, não importa quão dramaticamente a opinião do mundo possa vir a variar, a verdade cristã jamais será popular ao mundo.” (5)

 

Referências

 

1- http://www.mises.org.br/Article.aspx?id=2639

2- https://www.tercalivre.com.br/trump-freiras-obama/

3- https://www.youtube.com/watch?v=HixvnTAXnfk&t=37s

4- https://www.youtube.com/watch?v=HixvnTAXnfk&t=37s

5- MacArthur, John. Princípios para uma Cosmovisão Bíblica. Cultura Cristã. p.15

6 comentários Adicione o seu
    1. Oi, Seliano. Exatamente isso, ou defendemos o evangelho ou não fazemos parte dele. E quem defender princípios cristãos, de uma forma ou de outra será perseguido

  1. Mais Trump não é cristão, essa noticia sobre assedio não é nova, fora as antigas sobre racismo, preconceitos entre outros, e um erro não justifica o outro, é só pesquisar que sobre ele que veremos que suas atitudes nunca condizerem com um discípulo de Cristo.

    1. Rafael, não acredite em tudo o que a imprensa fala. Trump está lutando contra um sistema, por isso que ele é tão atacado. Não digo que ele seja inocente de tudo, mas ele está sendo muito caluniado. Ele está conseguindo criar empregos, melhorar a economia, mas porque nada disso é enfatizado pela mídia?
      Abraços

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *