A Fé é Racional?

“Rogo-vos, pois, irmãos, pelas misericórdias de Deus, que apresenteis o vosso corpo por sacrifício vivo, santo e agradável a Deus, que é o vosso culto racional.” Romanos 12:1

“A razão não se submeteria nunca, se não se julgasse que há ocasiões em que deve submeter-se.” -Santo Agostinho

Certamente todos já ouviram alguma coisa do tipo: “Religião não se discute, cada um tem a sua” ou “Não existe uma religião “certa”, todas possuem suas ‘verdades’”. Talvez você mesmo já tenha dito isso em alguma situação. Entretanto, nota-se que essas expressões nem sempre foram tão populares como hoje. Na Bíblia, por exemplo, encontramos muitos relatos de discussões entre visões religiosas opostas, pode-se citar Paulo em Atenas em que o apóstolo expôs o cristianismo aos gregos pagãos (Atos 17:16-34). Mas, então, como essas expressões se popularizaram de forma tão devastadora a ponto de uma grande maioria de pessoas, inclusive cristãos, as utilizarem? Uma, entre muitas razões, foi a ruptura entre a fé e a razão!

Mas como essa ruptura pode gerar uma consequência aparentemente tão distante? Em primeiro lugar, importa saber que nenhum pensamento surge a partir do nada. Portanto, essas expressões populares anti bíblicas surgiram a partir de um a sequência de pensamentos, em que entre as primeiras ideias estava a ruptura entre a fé e a razão.  Veja, um dos esforços de grandes homens como o apóstolo Paulo, Agostinho de Hipona e Tomas de Aquino, foi conciliar a fé com a razão. Paulo, por exemplo, diz em Romanos 12:1 para que a igreja ofereça um culto racional a Deus. Esses homens sabiam que com a separação entre fé e razão, a fé se tornaria algo irracional e, portanto, subjetiva a cada indivíduo. No momento em que a fé se torna irracional, a Verdade da fé deixa de existir, deixa de ser algo real e passa a ser individual. Pode-se constar que a tendência atual é reduzir o culto cada vez mais ao particular ou as 4 paredes da igreja. Ser missionário se tornou, para muitos, sinônimo de imperialista e arrogante.

Mas será mesmo a fé irracional?

Evidentemente, a resposta é não. A fé não pode ser irracional pelo simples fato que ela é, exclusivamente, humana. Nunca ninguém viu um cachorro, ou uma comunidade de cachorros construírem um templo para Cérbero, como se ele fosse uma espécie de trindade canina. Nunca ninguém viu um conjunto de gatos em uma procissão em homenagem a um santo gato que foi canonizado pela igreja dos gatos, ou um conjunto de vacas realizando um jejum de grama em prol da melhoria de saúde de uma de suas irmãs vacas. E qual é a principal diferença entre o Homem e os animais? Não seria a racionalidade? O brilhante G.K Chesterton escreveu:

“Os rios da mitologia e da filosofia correm paralelos e não se misturam até que encontram o mar do cristianismo. Secularistas simplórios ainda falam como se a Igreja tivesse introduzido uma espécie de cisma entre razão e religião. A verdade é que a Igreja foi realmente a primeira a tentar combinar razão e religião. Nunca antes houve uma união entre sacerdotes e filósofos”.

Cremos, porque nos foi revelado. Entretanto, cremos também porque crer é o ato mais racional e razoável a se fazer.

“Não gostaria de crer se não pudesse perceber que é sensato crer.” – Tomas de Aquino

2 comentários Adicione o seu
  1. Realmente temos visto no meio cristão um desvincular da razão nos cultos, temos visto muitas promessas de enriquecimento, curas e segue a lista de proezas, não estou dizendo que Deus não possa fazer mas ele nos pede para sermos racionais e quando se é racional se pensa e analisa a Bíblia e procura se concordância no que é pregado no que nos é passado.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *