Você mudaria algo em seu passado?

Hoje tratamos de um tema essencial ao evangelho, ARREPENDIMENTO, mas precisamos primeiramente conceituar este termo, antes de aborda-lo um pouco mais.

♠ O que é arrependimento?

– Não é remorso (a tristeza por algo, uma decepção que não altera seu agir e pensar).

– Arrependimento é Metanoia (grego), que entre seus significados, cabe: MUDANÇA DE MENTE. R. C. Sproul diz (adaptado) que: a mudança de mente não é meramente um assentimento intelectual de um conceito, mas uma mudança de toda a vida. Para o profeta (citando Joel), o arrependimento não é meramente um ritual religioso, é algo integral à conversão da alma. Significa uma mudança de todo o ser e uma pessoa.

– O arrependimento genuíno é algo operado em nós, por meio do Espírito Santo. É uma atividade graciosa, da parte de Deus (R.C. Sproul). Arrependimento é algo inseparável da conversão, da graça divina.

♠ Quais os tipos de arrependimento?

  • Arrependimento cultual/ritualista: Arrependimento relacionado ao AT, o arrependimento regrado, puramente instruído e ordenado por Deus, com datas específicas, canções e vestimentas adequadas a situação (além do ato de rasgar as vestes). Ao longo do tempo este arrependimento foi degenerado pela humanidade, tornando algo meramente visual, buscando impressionar as demais pessoas.
  • Arrependimento genuíno:

“A questão crucial era esta: o povo era chamado a rasgar o coração e não as vestes. Quando os profetas exortavam as pessoas (ao arrependimento) desta maneira, não estavam se opondo à pratica de rasgar as vestes, mas estavam dizendo que não basta alguém rasgar as vestes como um sinal de arrependimento; o coração precisa ser igualmente rasgado. Quando compreendemos que temos ofendido a Deus, devemos sentir esta ruptura de nossa alma”. (R. C. Sproul)

Hoje em dia vemos religiosos (não é um elogio), buscando o “sentir-se bem”, o “arrependimento” destes não pode chegar a “ofendê-los”, porém biblicamente vemos algo diferente: “Cingi-vos e lamentai-vos, sacerdotes; gemei, ministros do altar; entrai e passai a noite vestidos de saco, ministros do meu Deus; porque a oferta de alimentos, e a libação, foram cortadas da casa de vosso Deus” – JOEL 1.13.  A bíblia nos apresenta arrependimento como algo sério, como podemos ver no exemplo do SALMO 51. Em que Davi, reconhecendo seu gravíssimo erro, clama incessantemente por misericórdia. Davi reconheceu que somente por DEUS seu pecado poderia ser expiado, não era algo acessível a ele, somente a misericórdia do Pai, poderia perdoar e mudar seu coração. Vejamos o Salmo 51:

1 Tem misericórdia de mim, ó Deus, segundo a tua benignidade; apaga as minhas transgressões, segundo a multidão das tuas misericórdias.

2 Lava-me completamente da minha iniquidade, e purifica-me do meu pecado.

3 Porque eu conheço as minhas transgressões, e o meu pecado está sempre diante de mim.

4 Contra ti, contra ti somente pequei, e fiz o que é mal à tua vista, para que sejas justificado quando falares, e puro quando julgares.

5 Eis que em iniquidade fui formado, e em pecado me concebeu minha mãe.

6 Eis que amas a verdade no íntimo, e no oculto me fazes conhecer a sabedoria.

7 Purifica-me com hissopo, e ficarei puro; lava-me, e ficarei mais branco do que a neve.

8 Faze-me ouvir júbilo e alegria, para que gozem os ossos que tu quebraste.

9 Esconde a tua face dos meus pecados, e apaga todas as minhas iniquidades.

10 Cria em mim, ó Deus, um coração puro, e renova em mim um espírito reto.

11 Não me lances fora da tua presença, e não retires de mim o teu Espírito Santo.

12 Torna a dar-me a alegria da tua salvação, e sustém-me com um espírito voluntário.

13 Então ensinarei aos transgressores os teus caminhos, e os pecadores a ti se converterão.

14 Livra-me dos crimes de sangue, ó Deus, Deus da minha salvação, e a minha língua louvará altamente a tua justiça.

15 Abre, Senhor, os meus lábios, e a minha boca entoará o teu louvor.

16 Pois não desejas sacrifícios, senão eu os daria; tu não te deleitas em holocaustos.

17 Os sacrifícios para Deus são o espírito quebrantado; a um coração quebrantado e contrito não desprezarás, ó Deus.

18 Faze o bem a Sião, segundo a tua boa vontade; edifica os muros de Jerusalém.

19 Então te agradarás dos sacrifícios de justiça, dos holocaustos e das ofertas queimadas; então se oferecerão novilhos sobre o teu altar.

Vemos que Davi por si mesmo era um transgressor, e seu pecado estava sempre o incomodando, sempre tornando a sua mente e coração, mas isto é visivelmente um sinal de que Davi reconhecia seu erro, sua depravação natural. No versículo 4 Davi diz que pecou contra Deus, somente contra Deus, Sproul, analisando este texto diz que Davi não estava desconsiderando seu pecado ante aos homens (Urias e Bate-Seba, além de toda a nação), mas seu crime ante a Deus era tão atroz que o consumia de maneira absurda, que o incomodava, que o fazia lastimar, pois sabia estar em débito gravíssimo com seu Senhor. Davi clama por purificação, afinal, arrependimento implica em mudança de mente, em mudança de hábito, em largar o erro, em abandonar as más práticas, o rei Davi sabia que se dependesse dele, ele jamais seria purificado, em outras palavras, Davi estava com as mãos sujas de sangue, e sabia disso, as suas mãos não poderiam ser limpas por si mesmas, era necessária a purificação Divina, para que suas máculas pecaminosas o deixassem. Davi clama para que Deus o dê um coração puro, ou seja, um coração moldado segundo o querer de Deus, um coração que busca incessantemente agradar ao Pai, que não é levado por imundícies e desejos imorais da carne.  Em suma, Davi reconhece sua condição deplorável, busca por misericórdia, clama por mudança interior, mudança na mente e no agir, suplica para que Deus o renove a alegria de sua salvação e busca viver em hábitos agradáveis a Deus.

 

Sproul, relacionando o arrependimento a conversão diz: “O que vem primeiro, a regeneração ou o arrependimento? imagino que noventa dentre cem diriam que o arrependimento vem primeiro. No entanto, não faz sentido que pessoas mortas em seus pecados e transgressões se inclinem naturalmente ao arrependimento. O Novo Testamento ensina que Deus, o Espírito Santo, primeiramente vivifica nossa alma, e o fruto desta obra é arrependimento piedoso e fé”.

 

Somente Deus nos convence do pecado.
Somente Deus nos desperta para nossa culpa.

Se Deus nos faz sentir a tristeza piedosa, ante aos nossos crimes, isso é um ato puramente gracioso, é um ato misericordioso que nos direciona à fé e à conversão.

Busquemos, pois, o arrependimento, a mudança de mente e um coração que agrada a Deus.

#SoliDeoGlória
@Homens_Norteados

6 comentários Adicione o seu

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *