Jesus não é o confete do Seu Bolo

Jesus não é o confete do Bolo

 

Não sei fazer bolos e já estou na casa dos trinta anos. Por outro lado, minha esposa faz bolos de panela de pressão deliciosos. Acho que é por isso que nunca tive vontade de aprender. Antes de minha esposa havia minha mãe que fazia bolos e, quando não tem nenhuma das duas por perto, e tenho vontade, eu compro um.

A despeito de não saber fazer bolos sei que vários ingredientes são necessários. Leite, ovos, açúcar são os mais básicos, mas outros ingredientes podem ser acrescidos dependendo do tipo de bolo. O chocolate ou baunilha, ou algum outro sabor. Alguns bolos são exclusivos para festas e, por isso, sua produção é mais morosa e cara. Quando um bolo é assado e confeitado, alguns lhe dão um toque final: uma cereja. Parece que a cereja é uma coroa; ela é comparada a uma espécie de assinatura em grandes obras de arte.

Imagine que o bolo é sua vida. Ela tem várias camadas como o bolo (falo daqueles bolos recheados, enormes e suculentos), camadas mais firmes e outras menos, feitas de glacê. Algumas bonitas e outras menos, mas que tem uma certa cobertura para esconder as imperfeições. É assim. Nossa vida pode ser comparada a um bolo. Alguns têm vidas estáveis e famílias grandes, também estáveis, tradicionais e bem unidas. Outros nem tanto.

Vamos falar sobre os confeiteiros profissionais. São eles os profissionais dos bolos. Não vou gastar tanto tempo explicando o que um confeiteiro faz, mas ele confeita! Ele deixa o bolo mais bonito. Alguns são “o confeiteiro” do próprio bolo e acham que o bolo de suas vidas estão bonitos e apetitosos. Mas nunca estão satisfeitos e tentam adicionar mais camadas.

O bolo é a vida e os confeiteiros podem ser o próprio dono do bolo, ou um profissional da área. Vamos transformar isso em missões ou evangelização. A vida tem várias áreas que seriam as camadas do bolo e os profissionais da área são os evangelistas. Alguns “evangelistas” chegam diante de pessoas com vidas estáveis e dizem: “Você tem uma família linda, conquistou muitas coisas durante a vida (camadas do bolo), mas falta uma coisa: Jesus”.

Que coisa nojenta! Essa não é a pregação do Evangelho. O pior é que esses evangelistas acham que estão pregando o Evangelho de Jesus. As boas novas de Jesus. Pior ainda são os que ouvem, pois pensam que suas vidas são quase perfeitas, só falta um adendo, uma pedra a mais no colar de muitas pérolas e esta pedra é Jesus. Ainda que pareça singela esta forma de mostrar Jesus aos descrentes, estamos diante de uma distorção do ensino do Novo Testamento.

Jesus, segundo esses evangelistas, parece mais um anexo a vida das pessoas enquanto ele mesmo diz que é a vida. Ele é a razão da existência. Todos os cristãos têm de andar como se Jesus fosse tudo que eles possuem e mais nada. Todo cristão tem de saber que Jesus não é uma cereja que eles colocam em cima do bolo de suas vidas, mas Jesus é a vida toda não a cereja.

Existem pessoas que passam a semana inteira cuidando de seus próprios interesses, são inimigos de Deus “não declarados”, preocupam-se com cada camada de seu bolo, e é só isso que fazem. Aí chegam alguns “evangelistas” afirmando que tudo que essas pessoas precisam é “aceitar Jesus” para que suas vidas fiquem completas. Fazem uma oração e prometem que se a pessoa repetir a dita oração ele será salvo.

Agora eu pergunto: essas pessoas tinham a vida quase completa mesmo? Quanto de suas vidas precisava ser preenchida por Jesus? Será mesmo que eu tenho quase tudo, mas só falta Jesus? É o que muitos pregadores deixam subentendido para as pessoas para as quais “pregam”. Jesus é tratado como a cereja no bolo. Algo para dar o toque final em algo que está quase completo. Porém, a verdade é que nada está completo. Na verdade, sem Jesus não há vida alguma.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *