Oração como Comunhão com Deus

E, quando orares, não sejas como os hipócritas; pois se comprazem em orar em pé nas sinagogas, e às esquinas das ruas, para serem vistos pelos homens. Em verdade vos digo que já receberam o seu galardão.

Mas tu, quando orares, entra no teu aposento e, fechando a tua porta, ora a teu Pai que está em secreto; e teu Pai, que vê em secreto, te recompensará publicamente.

E, orando, não useis de vãs repetições, como os gentios, que pensam que por muito falarem serão ouvidos.

Não vos assemelheis, pois, a eles; porque vosso Pai sabe o que vos é necessário, antes de vós lho pedirdes.”

Mateus 6:5-8

 

Existem dois grupos de pessoas que pensam que oram.

  • ‎ Religiosos (v5)

Qual o mal de orar em pé? Ou em uma reunião cívica, ou em algum lugar público?

Não há nenhum problema nisso. O problema está em fazermos da nossa oração um tipo de show, buscando reconhecimento para nós.
Jesus critica a oração dos hipócritas (hupokrites) que tem como uma dos significados ator, artista de teatro, e como bem sabemos todo ator ou artista tem como principal objetivo das suas atuações o reconhecimento do público.

A versão da Bíblia “A Mensagem” tem uma tradução bem interessante sobre esse texto.
“…também não façam disso uma produção teatral. Essa gente que faz da oração um show está buscando o estrelato! Vocês acham que Deus está no camarote, apreciando o espetáculo?”

 

Como saber que estou nesse primeiro grupo?

v1,2 de Mateus 6 nos mostra um exemplo de atitude que conseguimos identificar como um “prova” se estamos ou não tendo atitudes como a dos hipócritas, de auto reconhecimento.
“Quando fizerem o bem, tenham o cuidado para que seu gesto não vire peça de teatro. Pode até ser um bom espetáculo, mas Deus não vai aplaudir.

 “Quando for ajudar alguém, não chame atenção para você mesmo. Você já viu gente assim em ação, tenho certeza — eu os chamo ‘atores’. Eles vão orar nas esquinas, como se elas fossem palcos, atuando para o público, interpretando para as multidões. Eles recebem aplausos, sim, mas é tudo que conseguirão…”

 

Nosso cuidado deve estar presente em tudo o que fazemos. Isso não significa que não possamos dar esmolas, ajudar pessoas publicamente ou até ajudar a nossa comunidade na ação social, não. Isso significa que devemos sim fazer tudo isso, mas fazer como um ato de amor e não um ato de honra a nós.

 

  • ‎ Não – religiosos (v7-8)

Então não podemos orar repetidas vezes sobre uma determinada coisa a Deus?

Claro que podemos, o que não podemos é fazer uma oração mecânica.
As “vãs repetições”  podem ser entendidas como métodos, fórmulas ou técnicas de tentar conseguir aquilo que queremos de Deus.
Assim como um vendedor insiste em oferecer um determinado produto a você afim de fazer você comprá-lo, assim muito oram repetidamente para tentar convencer Deus de fazer aquilo que elas querem.

Estamos praticando as “vãs repetições” quando buscamos a nossa vontade e não a vontade de Deus.

Se eu coloco a minha vontade na frente da vontade de Deus, é como se eu soubesse o que é melhor pra mim e não Deus.

 

Modelo de Jesus

Vamos dividir a oração de Jesus em 3 possíveis partes:

 

  • Filiação

“Portanto, vós orareis assim: Pai nosso, que estás nos céus, santificado seja o teu nome;”

Mateus 6:9

 

Porque podemos orar assim?

Porque somos filhos de Deus, a primeira palavra desta oração é PAI NOSSO, e não Senhor Nosso, Rei Nosso.

Nós nos dirigimos a Deus, como filhos se dirigem aos pais.

O que Jesus nos ensina nessa primeira parte da oração?

É o deleite na oração.

O foco da oração é sempre o Pai nosso e não eu.

Antes de pedir algo a Deus em bênção ou materiais, buscamos a Deus, e a sua presença em nossa vida.

 

  • ‎ Senhorio

“Venha o teu reino, seja feita a tua vontade, assim na terra como no céu;”

Mateus 6:10

 

Segundo propósito da oração é o Senhorio de Deus.

A principal fonte de erros em nossas orações é primeiro pedir a Deus que nos abençoe e aquilo que desejamos e depois pensar se vale a pena servir ao senhorio de Deus e a sua submissão.

“E da mesma maneira também o Espírito ajuda as nossas fraquezas; porque não sabemos o que havemos de pedir como convém, mas o mesmo Espírito intercede por nós com gemidos inexprimíveis.

E aquele que examina os corações sabe qual é a intenção do Espírito; e é ele que segundo Deus intercede pelos santos.”

Romanos 8:26-27

 

Não sabemos o que é melhor pra nossa vida, da nossa família e como tornar o mundo um lugar melhor. Então antes de pedir algo para nós ou para alguém, supliquemos a Deus para que a vontade dEle seja feita sobre tudo.

A principal fonte dos meus e dos seus problemas, é que buscamos primeiramente o “pão nosso de cada dia” pra depois ver se vale a pena servir a Deus.

Primeiro vem o cultivo da Filiação com Deus, depois Venha o Teu reino, me submetendo a vontade de Deus e o seu Senhorio, e só então vou correr atrás do Pão Nosso de Cada dia.

Porque agimos desta maneira? (por favor preste atenção nisso)

Porque nós pensamos o seguinte, “Eu estou ansioso”, “Eu estou com medo desse diagnóstico”, “Eu estou em uma situação muito desfavorável”, “Eu estou irado com o que fizeram a mim”, “E EU SEI COMO RESOLVER ISSO DO MEU JEITO“.

Com isso em mente partimos para a oração com o intuito de convencer Deus a seguir o nosso plano, “Deus você precisa fazer isso”, “Deus você precisa salvar aquela pessoa”, “Deus o dinheiro tem que estar na conta segunda-feira”, “Deus curar tem que acontecer, não tem outro jeito”.

Seria como se estivéssemos falando pra Deus, “Deus faça o que estou te pedindo, eu sei o que tem que ser feito”.

 

E qual o problema de orarmos pedindo que a nossa vontade antes de pedir a vontade de Deus?

Se você coloca sua vontade, antes da vontade de Deus, isso significa que você pensa que sabe melhor que Deus o que é melhor pra você, para as pessoas e para o mundo.

Fazendo isso é como se estivéssemos tomando o lugar de Deus, e sendo assim não teria um porque orar a Deus, teríamos que orar a nós mesmo, porque nós saberíamos o que é melhor pra gente.

Você não é melhor que Deus, então você não sabe como as coisas deveriam ser na sua vida, na vida das pessoas que te feriram, você não sabe fazer do mundo um lugar melhor, então só te resta uma coisa a fazer durante a sua oração, SUBMETA-SE ao Senhorio de Deus.

 

  • ‎ Petição

“O pão nosso de cada dia nos dá hoje;

E perdoa-nos as nossas dívidas, assim como nós perdoamos aos nossos devedores;

E não nos conduzas à tentação; mas livra-nos do mal; porque teu é o reino, e o poder, e a glória, para sempre. Amém.”

Mateus 6:11-13

 

Pedimos ao Pai tudo aquilo que nosso coração anseia.

O “pão nosso” necessário para vivermos, o nosso alimento necessário para sustento do nosso corpo.

O “perdão pelos nossos pecados”, somos culpados de termos sido falhos e ter pecado contra Deus, necessitamos da Graça e Perdão do Pai todos os dias.

E assim buscamos o livramento “de todo mal” sempre.

E que “assim seja” para todos sempre.

 

Propósito primordial da oração é comunhão com Deus.

Oração é isso cultivado comunhão com Cristo.

 

Um comentário Adicione o seu

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *