A beleza da mulher e a falsa religião

Sonhei que via uma mulher. No meu sonho era uma mulher muito formosa, alta, feições finas e
muito atraente aos olhos masculinos. Não lembro mais se era loira ou morena, só sei que era
alguém que certamente chamaria a atenção por sua beleza. Começo a conversar com ela,
pergunto a sua religião. Ela responde que é espírita, mas tinha simpatia pelo candomblé. Eu
começo a fazer piadinhas sobre “passe”, galinha morta, essas coisas relacionadas a essas
crenças. Sei que é errado fazer piadas sobre a crença dos outros, mas quem me conhece sabe
que eu tenho essa mania de fazer piada com tudo, principalmente com a minha pessoa. Após
essa minha brincadeira, ela não fica nem um pouco satisfeita com essa piada de péssimo gosto
e começa a se transformar, transformando-se num ser horrível que preparava-se para me
atacar. Após esse momento eu acordo no meio da madrugada.

Fazendo uma analogia entre essa mulher muito bonita e a nossa vida, vemos que muitas
coisas que parecem certas e agradáveis à vista em um primeiro momento, podem ser
caminhos que levam ao fracasso e até mesmo à morte.

O caminho mais fácil geralmente é aquele que irá nos trazer “benefícios” a curto prazo, mas
maldição depois de passado o encantamento. Pessoas são levadas por facilidades como o
antigo sistema de pirâmide Telexfree, que prometia um rendimento muito alto do dinheiro
investido, mas no fim muitas pessoas se endividaram porque a base dessa pirâmide não tinha
nenum alicerce e veio a ruir, levando a promessa de dinheiro fácil das pessoas ao espaço.
É muito mais fácil dizer às pessoas que elas não merecem sofrer ou que ela merece ser rica e
que ela não nasceu para viver com dificuldades à confrontar os erros dessas pessoas,
analisando suas vidas e desafiando-as a se arrependerem dos seus erros. A religião falsa é a
primeira citada. É aquela que promete coisas fáceis, atrai o nosso olhar com promessas lindas,
mas no fim nos leva à miséria, tanto espiritual quanto financeira e emocional. A verdadeira
religião é aquela que nos traz à realidade da nossa fraqueza, expõe os nossos erros e nos
mostra um caminho árduo e difícil para desbravarmos até alcançarmos a maturidade e o
caminho de vida eterna.

Na verdade, nenhuma religião é capaz de dar as respostas para os nossos problemas. Não
alcançamos a verdade por nossos méritos. Nunca alcançaremos a perfeição. O segredo para o
sucesso é reconhecer o fracasso e clamar pela ajuda de quem realmente pode nos tirar do
lamaçal a qual vivemos: Jesus Cristo!
” Porque há um só Deus, e um só mediador entre Deus e os homens, Jesus Cristo
homem” ( 1 Timóteo 2:5)

Citarei alguns pontos para a reflexão:
1- Todas os caminhos levam a Deus
É algo logicamente impossível. Uma verdade não pode ser confrontada com outra verdade,
pois se elas se opõem e fatalmente uma será exposta como falsa. Se a minha bússola aponta
para o norte, eu não posso trilhar o caminho do sul para chegar ao meu destino. As religiões
que pregam a meditação para nos chegarmos a Deus, estas são falsas pois um ser limitado
não pode alcançar o ilimitado. Segundo Heber Campos, ” Não podemos compreender a
Deus, porque Ele é de natureza muito diferente da nossa e está acima de nosso
entendimento. Só compreendemos alguém quando o conhecemos exaustivamente. Esse
ponto nos leva a crer, pelo menos, que Deus pode ser conhecido em alguma medida.
Não podemos compreendê-lo, mas podemos conhecê-lo. E o conhecimento de Deus é
uma condição sine qua non para que o homem possa ser salvo.” ( Jo 17.3; 1 Jo 5.20).1

De acordo com a teologia reformada, ” Deus pode ser conhecido, mas que é impossível ao
homem ter um conhecimento exaustivo. O conhecimento que o homem tem de Deus é
limitado ao que Ele revela de si mesmo na natureza e nas Sagradas Escrituras.”2

2- Exclusividade do caminho

Muitos discípulos de Jesus se tornaram incrédulos e abandonaram Cristo, e Ele pergunta aos
doze se eles também queriam se retirar, quando o apóstolo Pedro fala: ” Senhor, para quem
iremos? Tu tens as palavras de vida eterna.” ( João 6:68).
Jesus fala em diversas ocasiões que Ele é o caminho para a vida eterna e Pedro neste
momento difícil, de abandono da multidão, confirma as palavras de Cristo. Portanto, Jesus não
veio para nos ensinar moralidade, apesar de Ele ter ensinado a respeito, mas Ele veio para nos
dar a vida eterna. Como falado anteriormente, Ele é o Verbo, a ação, que veio em forma
humana para nos livrar da condenação.

3- A dureza da verdade

Se só Ele tens as palavras de vida eterna, as palavras dos homens não servirão para que
possamos alcançar a salvação. Somente a Sua palavra ( A bíblia) é capaz de ser o farol que
ilumina o nosso barco para um porto seguro. Porém, aquele que não crê nessas palavras, traz
juízo sobre si, por causa da dureza do seu coração em não se curvar ao criador dos céus e da
terra. Somente quem nos ama, tem a capacidade de mostrar o nosso erro e nos castigar
quando necessário. Ele se fez carne e habitou entre nós para nos ensinarmos a verdade e
também trazer juízo para os incrédulos, pois Ele não pode negar um dos seus atributos: A
justiça!

” Por isso, quem crê no Filho tem a vida eterna; o que, todavia, se mantém rebelde
contra o filho não verá a vida, mas sobre ele permanece a ira de Deus.” ( Jo 3:36)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *